Menos pobreza na Terra, mais alegria no Céu

Pieter Johannes Maria de Jong

124 páginas

Para ler ou dar presente, acesse o site www.clubedeautores.com.br, encomende e receba o seu exemplar pelo Correio, ou procure diretamente na sede da Anuepo.

Todos os direitos autorais ajudarão a Anuepo a continuar ajudando os pobres da região em que ela trabalha.

A biografia do Sr. Pieter e a história da Anuepo se misturam, na medida em que a vocação de enfrentamento ativo da pobreza esteve em sua vida desde a infância e se fortaleceu após ter entrado em um seminário-convento Redentorista holandês, em 1942, aos 19 anos de idade.

Tendo sido transferido para Missões no Nordeste brasileiro, onde esteve por oito anos seguidos, em 1959 deixou a vida conventual e passou a viver em São Paulo.

Na década de 1970 mudou-se para Cotia, na Grande São Paulo, onde deu início ao trabalho voluntário de ajuda a famílias pobres ou muito pobres.

Hoje, o trabalho da entidade que fundou em 2003, a Anuepo – Associação do Núcleo de Enfrentamento da Pobreza, se estende por Cotia, Carapicuíba e Embu das Artes, atendendo muitas famílias todo mês e as apoiando em suas necessidades alimentares e de desenvolvimento e valorização humanos.

A história de sua vida, desde a pequena cidade holandesa de Oisterwijk até Cotia, é narrada e comentada por ele neste livro emocionante e delicado.

Numa linguagem simples, afetiva e pontuada por ricos episódios históricos, da Segunda Guerra Mundial à crise internacional do petróleo no início dos anos 80, Pieter de Jong relata como conseguiu expressar no Brasil o que sempre foi o objetivo de sua vida: servir ao Amor de Deus, por meio da ajuda incessante e objetiva aos mais pobres ou necessitados de conforto e orientação existencial.

Como ele relata, “com os nossos contatos incessantes e a continuada visitação direta às famílias excluídas, indo onde o pobre ou muito pobre está, além de prover o que podemos nós orientamos idosos, adultos, adolescentes e crianças, inclusive no que diz respeito à higiene pessoal e da moradia. Outras vezes, e não são poucas, atuamos como moderadores nos conflitos intrafamiliares. Priorizamos a reintegração, à sociedade, daqueles que terminaram ficando isolados do convívio com outras pessoas, algumas vezes orientando-os diretamente, outras vezes os encaminhando aos órgãos competentes da Prefeitura ou do Estado e a outras entidades beneficentes da região. Graças ao nosso Jesus crucificado, a quem devemos dar todo louvor!”.

Confira as fotos do lançamento do livro: